O estudo da língua abrindo portas para uma vida melhor

A língua é considerada uma das principais dificuldades enfrentadas por um imigrante no processo de adaptação em seu novo país. Como a migração na maioria das vezes é forçada, muitos vêm para o Brasil sem saber quase nada da língua portuguesa. Morar em um país cuja língua oficial um imigrante não conhece pode acabar prejudicando-o de diversas maneiras, no trabalho, na escola, na locomoção pelas ruas ou na comunicação diária. A Pastoral do Migrante em Florianópolis auxilia nesse contato com a nova língua ofertando gratuitamente aulas de português para imigrantes recém-chegados, lecionadas pela professora Natália Zardo.

Professora Natália Zardo em uma de suas aulas de português na Pastoral do Migrante. Foto: Darlan Alves

A documentação acaba sendo também uma das principais dificuldades enfrentadas durante esse processo. Ao chegar em território brasileiro, o imigrante apresenta-se na unidade da Polícia Federal mais próxima para regulamentar sua situação com o pedido de residência temporária. Em alguns casos, deve apresentar o pedido de acolhida humanitária para depois obter o visto permanente. Na maioria das vezes, precisa pagar uma taxa, o que acaba dificultando o processo, pois em geral os imigrantes vêm para o Brasil em situação financeira crítica, em busca de melhores condições de vida e rendimento.

Atualmente, estima-se que mais de 30% dos refugiados no Brasil possuem ensino superior, de acordo com a ONU em 2019, contudo são poucos os que conseguem a revalidação do diploma. É um processo demorado, com um custo elevado que não favorece os imigrantes, levando-os, na maioria das vezes, ao desemprego. Esse drama afeta Alfredo, venezuelano que cursava a última fase de Jornalismo em seu país, mas se viu sem outra opção a não ser a saída do seu país de origem, mesmo antes de finalizar o curso. Anseia, em um futuro próximo, tentar a revalidação no Brasil e terminar seus estudos, mas tem em mente que o processo será longo e caro.  Pretende primeiro se estabilizar financeiramente no país, mas enfrenta a dura dificuldade de encontrar emprego na realidade atual.

Alfredo com a professora Natália Zardo em um encontro na Pastoral do Migrante, lê o próprio texto sobre seu processo de migração. Foto: Darlan Alves

Arrumar um trabalho não tem sido tarefa fácil com a taxa de desemprego no Brasil em 12,7% e  atingindo mais de 13,4 milhões de pessoas, de acordo com o IBGE. Para os imigrantes, o desafio se torna ainda mais difícil, não só pela língua, mas também pelas manifestações de xenofobia no país. Apesar de o Brasil ter uma grande diversidade cultural e étnica, muitos brasileiros acreditam que os imigrantes são responsáveis pelo desemprego, criminalidade e o restante dos problemas sociais. Não percebem que a presença dos imigrantes contribui para a riqueza cultural e socioeconômica do país.

Diante de tantas dificuldades enfrentadas pelos imigrantes ao chegarem no Brasil, medidas como aulas de português gratuitas como as da Pastoral do Migrante, são de extrema importância. As aulas são lecionadas pela professora Natália Zardo, que, no ensino da língua orienta sobre como enfrentar os problemas cotidianos.

Marina Breis
Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s